O vídeo em animação nada mais é que a passagem rápida de objetos ou imagens que, posicionados, dão a ilusão do movimento. A animação é uma Ilusão de ótica, ou seja, ela mostra movimento com imagens que, na verdade, são estáticas.

 Um pouco da história

As animações vêm desde o tempo das cavernas, com desenhos na tentativa de demonstrar, por exemplo, animais correndo. Com o passar dos anos, o homem foi desenvolvendo suas técnicas e, de simples desenhos que tentavam ilustrar o movimento, criaram-se engenhos que traziam movimento aos desenhos. Um exemplo é o Thaumatrope ou a Zoetrope, que buscavam burlar o olhar e mostrar movimento a desenhos estáticos.

Thaumatrope

Zoetrope

Charles-Emile Reynaud, cientista francês, resolveu fazer uma versão maior de seu Praxinoscope (evolução do Zoetrope) para que mais pessoas pudessem ver a animação ao mesmo tempo e no mesmo local. Foi aí que surgiu a Théâtre Optique e as primeiras animações foram reveladas a um grande publico, em 1892.

Praxinoscope

Depois veio o Flipbook, técnica usada até hoje, em que os desenhos são feitos em um caderninho e depois folheado rapidamente. Essa técnica foi criada e patenteada por John Barns Linnet.

 

Princípios

Na criação de animações, existem os conhecidos “12 princípios básicos da animação”, que são um con­junto de reco­men­da­ções des­ti­na­das a dar a ilu­são de vida aos personagens e que foram criados pelos estúdios Disney, incluindo Frank Tho­mas e Ollie Johns­ton. E todos esses preceitos estão no livro Disney Animation  –  The Illusion of Life, muito indicado para quem deseja entrar no mondo das animações. No vídeo abaixo, é possível vê-los resumidamente:

 

Técnicas e estilos

Em relação às técnicas e estilos, existe a animação tradicional, ou 2D, que seria a frame-a-frame, ou seja, consiste em desenhar cada quadro da animação. Por exemplo, se um segundo de animação tem 24 frames, seriam 24 desenhos pra cada segundo. Atualmente, a animação 2D recorre a software dedicado para a criação de parte ou totalidade da peça de animação. A animação 2D digital utiliza bitmap e gráficos de vetor para criar e editar imagens com recurso a programas como Adobe Flash, TV Paint ou Toon Boom.

Outra opção é o Motion Design, que é animação feita diretamente em softwares como o After Effects. O Motion Design, design de animação, videografismo, motion graphics ou simplesmente motion, é uma vertente do design gráfico que mescla princípios de design e cinema. Esse recurso audiovisual é uma das principais tendências da atualidade em todo o mundo. Conhecido por ser atrativo e eficaz, está presente em comerciais de TV, YouTube, vídeo clipes, cinema, shows, propagandas, vídeos explicativos, treinamentos, vinhetas animadas, entre outros.

A diferença básica entre animação e o Motion é que a animação possui personagens e apresenta uma história de forma linear, assim como vemos os filmes da Pixar, Universal etc. Já o Motion, mesmo seguindo em alguns casos storyboard, usa elementos visuais, grafismos e formas para comunicações diversas. Seja para informar ou contar um história. Tendo sentindo ou não, como animações aleatórias em clipes, vinhetas etc.

E para se obter efeitos diferenciados, pode-se misturar as duas técnicas e se obter um resultado bem interessante.

 Abaixo, apresentemos alguns exemplos de vídeos:

 

 

Vantagens para as empresas

Usam-se muito as animações e o Motion hoje em dia dentro das empresas para explicar um serviço ou produto, pois é um recurso visualmente atrativo para o público e muito efetivo. O grande diferencial é que não requer o uso de tantos equipamentos, como câmera, iluminação, som, entre outros, para se fazer a produção: requer apenas um computador potente, domínio técnico e muita criatividade. Outro ponto vantajoso é a economia com a locomoção que exigem as filmagens. No caso das animações, ela não existe. Em resumo, podemos afirmar que as animações oferecem as seguintes vantagens:

  • Causa maior impacto visual;
  • As pessoas preferem ver vídeos a ler textos, já que os recursos audiovisuais são mais atrativos;
  • Usa linguagens lúdicas que conquistam pessoas de todas as idades;
  • Cerca de 90% das pessoas se recordam de vídeos, mesmo depois de terem visto há algum tempo;
  • Contar histórias é extremamente atrativo e persuasivo e as pessoas se interessam por isso;
  • O custo de produção de um vídeo em Motion Graphics ou animação tem um bom custo-benefício em relação a outras produções audiovisuais, como filmagens em locações, atores, equipamentos etc.;
  • Com o Motion, é possível explicar processos complexos de forma simples e dinâmica, sem perder a seriedade e a credibilidade do material;
  • É possível mesclar linguagens de cinema, games, quadrinhos, design gráfico e diversas outras linguagens enriquecendo o material e deixando-o mais atrativo.

Como se pode ver, as animações passaram de simples desenhos para formatos estruturados que levam mensagens importantes, educando e informando as pessoas sobre produtos, serviços e sobre a marca das empresas. Hoje as animações são não são mais desenhos para crianças e sim uma excelente ferramenta de transmissão de informações de maneira a facilitar o seu entendimento.

Sua empresa já está se comunicando neste formato? Se ainda não, venha conversar conosco!